• Cursos Online na Área de Pedagogia
  • Diante das notícias de violência contra os consulados americanos no Oriente Médio, a Aliança Evangélica Mundial (World Evangelical Alliance – WEA) divulgou uma nota condenado esses protestos.

    O filme anti-islâmico “A Inocência dos muçulmanos” causou grande revolta no Egito, na Líbia, Afeganistão e também o Iêmen onde a embaixada dos Estados Unidos chegou a ser invadida.

    “A WEA está convencida de que não pode haver qualquer justificação para tal violência”, disse o comunicado. “Neste caso, custou a vida do pessoal diplomático – e a WEA vê a comunidade diplomática como crucial para a tarefa de construir o entendimento mútuo nas relações internacionais”.

    Mas a organização também condenou o filme criado por Sam Bacile um norte-americano com origem israelense que usou o longa para defender sua ideia de que o “Islã é um câncer”. A WEA condenou o filme afirmando que ele é “primitivo”, “difamatório” e “insultante”.

    Quem assina o comunicado enviado pela organização foi o secretário-geral, Geoff Tunnicliffe, que disse: “Estamos completamente contra essa prática de insulto e calúnia de outras religiões ou de seus fundadores. Tais declarações inflamatórias invariavelmente levantam suspeitas e confusão”.

    No final do texto ele convoca cristãos e muçulmanos a construir mecanismos de co-existência pacífica, evitando assim problemas diplomáticos causados pelas diferenças religiosas.

    Fonte: Gospel Prime

  • Yousef Nadarkhani, o pastor iraniano que conquistou os corações de milhões de pessoas ao manter-se firme em sua fé, enquanto enfrentava a prisão, foi absolvido da acusação de apostasia.

    Duas organizações que vinham acompanhando de perto o caso e tem fontes no Irã informaram neste sábado que Nadarkhani, que foi a julgamento no início do sábado, foi liberto da prisão e está em casa com sua família.

    “Obrigado a todos que me apoiaram com as suas orações” disse Nadarkhani, de acordo com o Present Truth Ministries.

    Embora absolvido da acusação de apostasia, o pastor iraniano foi considerado culpado de evangelizar muçulmanos. Ele foi condenado a três anos de prisão, mas foi liberado porque já cumpriu esta pena.

    “Damos graças a Deus por sua libertação e a resposta às nossas orações”, disse Jason DeMars, fundador do Present Truth Ministries em um comunicado. A Christian Solidarity Worldwide também confirmou a libertação do pastor.

    “Nós elogiamos o judiciário iraniano por este ato, que é um triunfo para a justiça e o Estado de Direito”, disse o presidente-executivo da CSW, Mervyn Thomas.

    “Enquanto nós nos alegramos com esta notícia maravilhosa, nós não esquecemos de centenas de outros que são molestados ou injustamente detidos por conta de sua fé, a CSW está empenhada em continuar a campanha até que todas as minorias religiosas do Irã sejam capazes de desfrutar da liberdade religiosa garantida sob o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, do qual o Irã é signatário.”

    Nadarkhani, pastor em uma rede de igrejas domésticas, foi preso em 13 de outubro de 2009, depois de protestar contra a decisão do governo de forçar todas as crianças, incluindo seus próprios filhos cristãos, ao lerem o Alcorão.

    Ele foi inicialmente acusado por protestar, mas as acusações foram posteriormente alteradas para a apostasia e evangelismo aos muçulmanos. Em 2010, ele foi condenado a morte e a decisão foi confirmada pelo Tribunal Supremo do Irã no ano passado.

    De acordo com a Sharia, um apóstata tem três dias para se retratar. O pastor cristão se recusou a negar sua fé.

    Cristãos de todo o mundo têm orado pela liberação de Nadarkhani. A campanha no Twitter defendendo sua liberdade atingiu mais de 3 milhões de tuites.

    Fonte: Gospel Prime

  • O comandante-chefe adjunto da Guarda Revolucionária do Irã advertiu, na semana passada, que qualquer agressão contra o Irã poderá fazer com que a “guerra final” chegue até o território de seus inimigos.

    “Nossa nação está pronta para esfregar o focinho dos nossos inimigos no pó e enviar milhares de caixões de volta para as suas cidades”, disse o general Hossein Salami.

    “Qualquer agressão contra o Irã irá expandir a guerra até as fronteiras dos inimigos”, alertou. ”Eles conhecem o nosso poder, e não vamos permitir qualquer agressão contra nossa terra.”

    O general citou duas razões para o que chamou de supremacia do regime islâmico: “Uma delas é que o líder supremo, o vice-presidente do Imã Oculto [o messias muçulmano], reinará com poder, conhecimento, penetrando os corações; a outra são os mártires que derramaram o seu sangue para a grandeza do país”.

    Ao elogiar os mártires, lembrou: “Allah diz no Alcorão que os mártires estão vivos e não os considera mortos, pois eles trocaram sua vida aqui para alcançar a vida eterna.”

    A Agência de Notícias Fars também informou que o general Hassan Firoozabadi, chefe do Estado-Maior do Exército do Irã, acredita que todos os países que apoiarem Israel devem esperar grandes ataques da Al-Qaeda e outros grupos terroristas em breve.

    Conforme relatado no início deste ano, suas células terroristas foram colocadas em alerta máximo para responder, caso o Irã seja atacado. Centenas dessas células foram plantadas na América Latina nos últimos anos. Em colaboração com o Hezbollah, elas aguardam ordens para atacar alvos inimigos.

    “A Força Quds estabeleceu um centro de comando e controle na Bolívia e Venezuela”, revelou recentemente um ex-funcionário iraniano com conhecimento da rede terrorista. ”Embora tenha presença antiga na Europa e outras partes do mundo, seu foco está na América Latina. Existem atualmente milhares de células na Bolívia, Brasil, Equador, Guatemala, Nicarágua e Venezuela.”

    Um relatório recente da CIA indica que o Irã estabeleceu uma base de treinamento na região norte da Nicarágua, onde soldados, incluindo membros do Hezbollah, estão sendo preparados para um ataque iminente.

    Hassan Abassi, ex-comandante da Guarda Iraniana e um estrategista, afirmou que muitas das células são de origem latino-americana, inclusive do México, e que várias centenas de alvos já foram identificados para um possível ataque.

    Outro comandante importante do regime islâmico, o general Masoud Jazayeri, advertiu recentemente que “em face de qualquer ataque, o Irã oferecerá uma resposta esmagadora. Nesse caso, não só agirão nas fronteiras do Oriente Médio e do Golfo Pérsico, mas todo o continente da América será alvo de nossos ataques “.

    Segundo uma fonte que trabalhou dentro da divisão de inteligência e que fugiu para a Europa recentemente, milhares de membros da Guarda Revolucionária e das forças paramilitares irão realizar exercícios nas próximas semanas para celebrar a “semana santa de defesa”, um evento anual que lembra a guerra Irã-Iraque. De acordo com essa fonte, o exercício quer alertar a população iraniana que o regime atual espera a breve deterioração das condições econômicas dentro do país e um ataque dos inimigos antes do final do ano.

    Reza Kahlili , pseudônimo de um ex-agente da CIA infiltrado na Guarda Revolucionária do Irã e autor do livro premiado ”Tempo de Trair” (2010), ajudou a traduzir o vídeo abaixo que circula nos países árabes como um alerta e uma convocação para o surgimento em breve do Mahdi, uma espécie de messias islâmico que, segundo a tradição muçulmana, se levantará no final dos tempos para liderar os seguidores de Allah numa guerra contra todos os infiéis, tendo Jesus Cristo a seu lado.

    Fonte: Gospel Prime

  • O pastor Lucinho Barreto gravou um vídeo para falar sobre a polêmica que uma foto sua cheirando a Bíblia gerou nas redes sociais. Ele que sempre pregou aos jovens para que sejam loucos por Jesus posou como se o Livro Sagrado fosse uma droga.

    No vídeo ele relata sua experiência de vida e como se entregou para Jesus e desde então já fez diversas loucuras pela Palavra de Deus, incluindo comer a Sagradas Escrituras.

    “Aquela foto, aquele cheiro, foi a menor loucura que já eu já fiz pela minha Bíblia”, disse. A Bíblia que ele comeu foi feita com papel vegetal comestível por uma amiga do pastor que hoje é líder dos jovens da Igreja Batista da Lagoinha.

    Outra grande loucura que ele conta que fez pela Bíblia foi ler todos os livros durante três dias ininterruptos com um grupo de jovens. O pastor Lucinho lista então diversos programas que fez pela Palavra de Deus, ficando um mês inteiro carregando o Livro para todos os lugares.

    “Aquela foto é a minha menor loucura pela Bíblia e muita gente está surpreso, dizendo ‘ai, você fez uma coisa errada com o Livro Sagrado’”, diz. O pastor então listou quatro coisas que de fato desrespeitam a Palavra de Deus, incluindo não praticá-la e não divulgá-la.

    “Por fim eu quero te dizer porque eu cheirei a minha Bíblia: eu cheirei a minha Bíblia porque a gente cheira tudo o que ama”.

    Veja o vídeo:

    Fonte: Gospel Prime

  • A indicação de pastores tem muita influência no voto dos fiéis e esse tem sido um dos motivos que fazem com que muitos líderes religiosos aceitem negociar com candidatos políticos oferecendo esses votos como moeda de troca. Enquanto a grande maioria não enxerga problemas nessas alianças, um grupo de cristãos resolveu protestar e alertar a todos sobre o voto de cabresto nas igrejas evangélicas.

    O movimento surgiu nas redes sociais no dia 22 de agosto e por se tratar da relação entre pastores e ovelhas e a palavra “cabresto” foi substituída por “cajado” surgindo assim a campanha “Fale contra o voto de cajado”.

    O secretário da Rede Fale, Caio Marçal, explica o principal motivo dessa campanha: “O papel dessa campanha é qualificar a participação da igreja evangélica na vida pública brasileira que hoje tem a imagem chagada por tantos escândalos que envergonham o testemunho cristão em nosso país ocasionado pelo mau uso da influência que alguns líderes religiosos”.

    Quem desejar participar ou conhecer mais sobre essa mobilização pode acessar o site www.fale.org.br e enviar imagens, vídeos ou textos referentes a essa discussão. Além disso, os internautas serão encorajados a se posicionarem em oração clamando a Deus para que os fiéis tenham uma participação mais consciente nas eleições 2012.

    “Queremos convocar o povo evangélico para também orar para esse tipo de abuso espiritual cesse e assim possamos resgatar o real sentido de uma fé bíblica e transformadora”, diz Caio.

    Felipe Degani, integrante da Rede Fale do Estado do Rio de Janeiro, comenta uma matéria publicada no jornal O Globo de 19 de março deste ano que falava sobre a importância do voto evangélico dizendo que os principais candidatos à prefeitura do Rio de Janeiro buscariam apoio dos líderes religiosos.

    “Naquele momento, ficou claro que o voto dos evangélicos é encarado como um componente decisivo nas eleições em nosso país e – pior – um componente negociado e manipulado por diversos interesses políticos, como um segmento qualquer”, disse.

    Degani tem consciência política e sabe que essa influência exercida pelo pastor e seus interesses pode prejudicar na escolha de um novo representante do povo. “Propus a meus companheiros da Rede que levantássemos uma campanha que alcançasse as igrejas evangélicas, com o objetivo de conscientizar sobre a importância da política e sobre o jogo de interesses que interferem em nossos arraiais para legitimar o domínio de determinadas personagens que agem como ‘coronéis’”, afirma.

    Fonte: Gospel Prime

  • Faleceu na última semana o cardeal italiano Carlo Maria Martini um acadêmico e estudioso da Bíblia que serviu como arcebispo de Milão por mais de 20 anos. Em sua última entrevista Martini chegou a fazer duras críticas a Igreja Católica dizendo que a instituição não tem acompanhado os avanços da sociedade.

    “A nossa cultura envelheceu, as nossas igrejas são grandes e vazias e a burocracia eclesiástica está crescendo, os nossos ritos religiosos e vestimentas são pomposos”, afirmou ele semanas antes de falecer.

    Sua proposta para impedir que esse atraso continue afastando os fiéis seria de resgatar a confiança e fazer algumas adaptações na doutrina da instituição, transformações que começariam pelo papa Bento XVI e pelos seus arcebispos.

    Para o jornal italiano Corriere della Sera o cardeal disse que entre as mudanças deve haver uma postura mais generosa em relação aos fiéis da Igreja Católica que são divorciados.

    Outro ponto polêmico que Martini tocou durante a entrevista foi sobre os escândalos envolvendo líderes religiosos em casos de pedofilia. “Os escândalos sexuais envolvendo crianças nos obrigam a uma viagem de transformação”, teria dito.

    As opiniões de Carlo Maria Martini sempre foram críticas em relação ao Vaticano, principalmente em relação a proibição do uso de camisinhas, que para ele era “o menor dos males”.

    Em sua opinião os preservativos seriam uma das melhores maneiras de combater o Aids na África e se não bastasse sua posição em relação a isso, Martini também defendia a participação das mulheres no clero.

    O cardeal Carlo Maria Martini faleceu na sexta-feira (31) aos 85 anos, seu corpo foi velado na catedral de Milão recebendo milhares de visitas. O enterro acontece nesta segunda-feira.

    Fonte: Gospel Prime

  • Página 7 de 9« Primeira...56789